Roraima agora é zona livre de aftosa com vacinação

Quarta-feira, 26/04/2017 às 10:13, Imprensa Blairo Maggi

 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) declarou nesta terça-feira (25), por meio de instrução normativa, o estado de Roraima como zona livre de febre aftosa com vacinação. Com isso, produtores do estado poderão vender carne bovina para as demais unidades da Federação, exceto para Santa Catarina, que é área livre da doença sem imunização. O próximo passo é submeter o reconhecimento do governo federal à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a fim que de Roraima possa vender também para o mercado externo.

 

A solenidade de reconhecimento do estado como livre de aftosa com vacinação ocorreu no gabinete do ministro Blairo Maggi e contou com a participação dos senadores Romero Jucá e Telmário Mota e dos deputados federais Abel Mesquita Júnior, Carlos Andrade e Hiran Gonçalves. O presidente da Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr), Vicente Barreto, representou a governadora Suely Campos na solenidade, na qual também estava o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa, Guilherme Marques.

 

“É um esforço de muito anos que está sendo reconhecido hoje com a assinatura da instrução normativa”, disse Maggi. “O reconhecimento de Roraima, como livre de aftosa com vacinação, é resultado de compromisso assumido pelo setor privado, com apoio do Ministério da Agricultura e do governo estadual”, acrescentou Guilherme Marques.

 

De acordo com o diretor do DSA, o Mapa deve encaminhar, dia 8 de setembro, pedido de Roraima para ter o reconhecimento internacional da OIE como zona livre de aftosa com vacinação. A decisão da Organização Mundial de Saúde Animal sobre o status sanitário do estado, que tem rebanho bovino de 784,1 mil cabeças, deve ser anunciada em maio de 2018.

 

A expectativa do Mapa é que o Amazonas e o Amapá também venham a ser declarados nacionalmente como livres da doença com vacinação. Os dois estados são os únicos ainda sem esse status. Caso o AM e o AP também consigam o reconhecimento do Mapa e da OIE, o Brasil terá todo o território livre de aftosa – 26 unidades da Federação com vacinação e Santa Catarina sem vacinação. O rebanho bovino brasileiro é de cerca de 220 milhões de cabeças.