EMBRAPA: 'Todos querem o que o Brasil tem', diz Maggi

Quinta-feira, 27/04/2017 às 16:04, Imprensa Blairo Maggi

Durante solenidade em comemoração ao 44º aniversário da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Brasília, nesta quinta-feira (27/04), o ministro Blairo Maggi destacou a importância da empresa na transformação da pecuária e agricultura brasileiras. “Foi fundamental para o Brasil sair de um importador de alimentos na década de 70 para ser um dos maiores exportadores de alimentos do mundo”, disse.

Segundo o ministro, em suas agendas internacionais para abertura de mercado, a Embrapa é sempre foco de interesse dos demais países. “Temos o que todo mundo quer: conhecimento. E tenho dito que de graça não. O Brasil não pode abrir mão de tudo que conquistou e avançou na área da tecnologia agrícola, sem receber por isso. Estamos dispostos a negociar.”, defendeu Blairo.

Através de amplo investimento em pesquisa e tecnologia, a Embrapa incorporou uma larga área de terras degradadas dos cerrados aos sistemas produtivos. Uma região que hoje é responsável por quase 50% da nossa produção de grãos. Com isso, o Brasil quadruplicou a oferta de carne bovina e suína e ampliou em 22 vezes a oferta de frango. “Por isso hoje, a nossa agropecuária é uma das mais eficientes e sustentáveis do planeta”, declarou o presidente da Embrapa, Maurício Lopes.

A empresa está presente no Brasil e no mundo com: 17 Unidades Centrais localizadas em Brasília, 46 Unidades Descentralizadas em todas as regiões do Brasil, quatro Laboratórios Virtuais no Exterior (Labex), nos EUA, Europa, China e Coreia do Sul, três escritórios internacionais na América Latina e África.

“Tudo que nós fizemos na parte industrial nós pagamos royaties porque o conhecimento não é nosso, diferente do que acontece na agricultura e pecuária. Temos que pensar no futuro da Embrapa, porque o modelo de 10 anos atrás não cabe mais hoje. Temos que revigorar essa empresa, pensar no seu futuro. Em novas estruturas de negócios, novas associações”, concluiu o ministro ao defender mais investimentos para a Embrapa.